Tuesday, November 20, 2012

Livre



Dessa vez, ela chegou em casa e tudo estava apagado. Estranhou um pouco, ele deveria ter chegado, mas... Ela sabia que imprevistos aconteciam e que ele, por vezes, gostava simplesmente de ficar só, no canto dele, curtindo um tipo de paixão por si.

Ela acendeu a luz, tirou os sapatos e, já que pelo visto não teria companhia para o jantar, iria comer qualquer coisa. Um vinho, queijos, azeitonas, tomates e um pedaço de pão. Essa era ela, simples.

Um banho! Decidiu primeiro por um longo e silencioso banho. Abriu as torneiras, encontrou a temperatura certa, encheu a banheira e escolheu seus óleos preferidos. O perfume era de flores... Ela queria sentir-se em um campo delas... Sorriu, ele nunca lhe dera flores. Aliás, ela nunca esperava nada de ninguém, nem amor. Flores eram desnecessárias se não fossem dadas por impulso, instinto, prazer.

Saiu do banho e se enrolou no roupão felpudo, ela estava confortável. Pegou a taça de vinho, sentou na frente da TV, mas não ligou o aparelho. Não tinha vontade de ser invadida, nem manipulada... Queria paz.

Saudade, ele fazia falta. Com suas brincadeiras, seus silêncios e seu jeito de dizer coisas que ela ainda não entendia bem. Os olhos brilharam, mas ela não chorou, ao invés disso, sorriu. Sabia que o fato de deixar a pessoa que amava livre, implicava em um dia ela não voltar. No fundo, isso doía, mas como modo de vida era a melhor escolha.

Provou o vinho vermelho, colocou uma música suave para tocar. Sentiu impulso de dançar. Saiu rodopiando pela sala, como se ele estivesse ali, abraçado a ela, flutuando.

Ela sorria, como criança, estava em paz consigo, mesmo que a vontade da presença dele fosse o tempero daquela felicidade. De repente olhou para o corredor, parou a dança e sorriu um dos sorrisos mais largos e puros que uma mulher pode dar ao ver o homem que ama parado observando-a.

Ela correu para os braços dele e juntos dançaram até o amanhecer.

2 comments:

  1. Reflete a liberdade de um amor autenticamente recíproco. Daqueles dos quais não se espera nada e ele faz questão de vir. Lindo texto!!!

    ReplyDelete
  2. Ela foi corajosa ao deixar a pessoa amada livre, mas, pelo jeito, a liberdade que ele queria era estar nos braços de sua amada.

    ReplyDelete