Friday, February 17, 2012

Romance





Todos os dias ele me acorda. Não, na verdade eu que acordo pensando nele. No calor, no sabor e no perfume. Um sorriso sempre segue, mesmo que o mau humor esteja fazendo companhia. Logo vou prová-lo.

Saio da cama contrariada. A vontade é virar de lado e deixar o sono correr. Meu sono é tão desembestado quanto um cavalo. Quando o deixo livre, posso ficar dias nesse estado de não existir. Melhor, existindo em outro lugar. Olho no espelho: horrível, essa é a palavra. Os olhos com jeito de que ainda não despertaram para as cores de hoje. O sorriso entortado pelo mau do humor e as olheiras, eternas companheiras, herança de família, me deixam com cara de ontem.

Abro o chuveiro. Banho sempre melhora o humor. O perfume que exala do sabonete traz a sensação de estar onde quero estar e não aqui. O calor da água no corpo lembra o toque suave das mãos do amante mais perfeito. Agora não é só o sorriso que aflora, mas sutil gargalhada. Fantasio em todo lugar, até aqui.

Deixo aquele prazer todo. Ele espera. Preciso me preparar. No quarto o eterno problema: “o que vestir?” Hoje é dia de reunião, mas terninhos sofisticados, sóbrios, não combinam comigo. Pego uma calça preta, uma camisa branca e as botas. Meu estilo é esse, normalmente jeans ao invés de uma calça de seda, mas a reunião é importante e preciso parecer bem. Olho no espelho. Acho que o arranjo ficou bom, o que ainda não está perfeito é o meu humor.

Vou para a cozinha. Antes mesmo de entrar, sinto o seu perfume. Ele parece me procurar, da mesma forma que a abelha procura a flor. Sei que ele não percebe o efeito que exerce em mim. Na verdade, nem tem consciência da necessidade que tenho dele. Não importa. Toda manhã ele está me esperando, toda manhã eu o sorvo com paixão.

Cozinha clara, branca, imaculadamente organizada. Meu estilo de novo. A mesa preparada nos oferece pão fresco, suco de laranja naquele copo de pé alto que tanto gosto. Queijo, hoje um queijo branco de cabra e um mais amarelado. Iogurte não pode faltar, da mesma forma que os tomates, azeitonas, menemen e frutas. Tudo ali esperando para ser apreciado. Artisticamente arrumados sobre a toalha a louça branca, os talheres de prata e as flores. Hoje são lindas tulipas vermelhas.

E ele? Ali, quietinho, me esperando. Sento ansiosa na cadeira macia. Pego a xícara branca e despejo nela o líquido negro. O aroma me encanta. A cor, minha favorita, enche a alma de alegria. Sorvo o primeiro gole. Finalmente começo a me sentir bem, ele está em mim agora. Meu dia então começa. Amo tanto essa cumplicidade entre ele e eu... Um quase romance entre o café e esta mulher.



Revisão do texto Simone Gomes

1 comment:

  1. Cada palavra transporta uma verdade ser Mulher é tudo menos ser frágil, Anjo ou demónio , somos só mais um ser a querer ser amado e respeitado nada mais que isso .
    Me identifico com aquela que ao se vestir para sair olha a sua roupa ,quer se aperaltar
    mas não se gosta de ver com roupas delicadas ,mas que aprecia sim mas nos outros não em si .
    Que basta umas caças de ganga uns ténis ou umas botas confortáveis, uma camisa de que goste um lenço e estou feliz .
    Muitas vezes dou comigo a pensar besteiras levada pelo preconceito que me rodeia , será que fica mal ? Será que uma mulher da minha idade pode usar cabelo longo ?
    E contra essa besteira eu luto todos os dias , ninguém tem nada a ver com a minha vida muito menos com aquilo de que eu gosto e que me faz sentir feliz .
    E me orgulho de existirem mulheres como você Heleny que nos passam tanto mesmo sem saber .

    ReplyDelete