Tuesday, October 25, 2011

Arrogância



Arrogância. Quem ama descobrir definições corretas das palavras corre logo ao dicionário e encontra o significado de arrogância: “Atitude altaneira; altivez; orgulho; insolência: ele mostra arrogância no trato. “ Existe dicionário com definições mais completas, para o texto esta é suficiente.

Quero dizer que não devemos confundir arrogância com autoconfiança. O ser humano autoconfiante é aquele que crê em suas habilidades e capacidades, como diz o dicionário:  “que confia em si mesmo.

O arrogante é aquele que se vê superior. Olha no espelho e observa imagem deturpada dele mesmo, como, se possuisse algo que aqueles que o cercam não possui. O arrogante, normalmente é mal educado, pois em sua arrogância se julga merecedor de atenções especiais, direitos especiais.

Arrogante fura a fila, destrata que o serve e além disso, julga-se acima do bem e mal, merecedor, por direito e não mérito de um lugar nos céu.

O arrogante é aquele que perfere ser adulado a ser amado. Que dá atenção mais a quem pode propalar suas qualidades, do que a família. O arrogante não deixa de o ser nem no leito de morte. Ainda ai, sonha com cortejos grandiosso, discursos e adulações.

No entanto não são apenas pessoas, seres humanos, ou como diz o direito, pessoas físicas que são arrogantes. Empresas também o são.

Recentemente tivemos um exemplo de que arrogância tapa o sol com a peneira. Deixa-nos deitados em berço esplêndido e ao acordamos, é tarde, alguém nos passou a frente e agora só temos mesmo é que tentar sobreviver.

Em 2001, uma empresa canadense RIM – Resarch in Motion, lançou no Mercado um smartphine que passou a ser o desejo da maioria das pessoas: o Blackberry era a jóia que todos desejavam ostentar. Sua facilidade de uso, devido ao teclado qwert, e a possibilidade de se ter e-mails e IM num celular revolucionaram a vida das emrpesas e das pessoas.

A RIM, chegou a possuir quase 60% do mercado de Smartphone entre 204 e 2005, com concorrentes que começaram timidamente a explorar essa area. E ai é que veio a arrogância. Possuidora da melhor solução na época, e com o interesse que despertou nas grandes empresas, que viram no Blackberry a extensão do escritório que seus funionários poderiam levar de um lado para outro. Ela esqueceu que, no ramo de tecnologia, quem não faz tem que concorrer, mais cedo ou muito mais cedo, com quem tem a coragem de ousar.

Ai vieram: Nokia, Motorola, Sony-Ericsson, hTC, Samsung, e o famoso iPhone, e  começaram a oferecer algo que o Blackberry nunca pensou, a extensão não apenas do escritório, mas de sua casa, seus hobbies.

Estes smartphones são mais que telefones ou gerenciadores de e-mail. Tocam música e vídeo com qualidade, são ótimas máquinas fotográficas em momentos inesperados, nos dexam conectados o tempo todo com redes sociais e acima de tudo, não nos prende a um roteador de e-mails que quando sofre crash, nos impede de comunicar.

A RIM esqueceu de transformar seu aparelho. Deixou-o com a  mesma cara, as mesmas funcionalidades por tempo demais. E há algumas semanas atrás, deixou muitos de seus clientes europeus off-line. Sim, muitas empresas ainda obrigam seus funcionários a terem Blackberries, sim para quem o usa o teclado é um grande diferencial, mas, os outros oferecem muito mais que isso e a troca compensa.

Exemplos como esse servem para nos alertar. Arrogância é algo que devemos fugir, analisar e descartar, seja como indivíduo, seja como empresa. Falsa modestia é demagogia, mas arrogância é burrice.

1 comment:

  1. Legal um tema como esse abordado sob essas duas vertentes, pessoa física/jurídica, que, embora distintas, guardam em comum o fracasso decorrente de uma postura arrogante. No caso das empresas, a consequência é imediata... principalmente porque envolve “números”. Já em relação ao ser humano, as consequências, não menos desastrosas, são lentas e se arrastam ao longo da vida do indivíduo que se recusa a enxergar o mundo de forma horizontal, como foi abordado no texto, por uma deturpação da auto-imagem.

    ReplyDelete