Friday, July 15, 2011

Espelho

Sento para escrever. Não sei o que dizer, as vezes é assim, não tenho a menor ideia por onde começar. Olho  para o lado, a janela entreaberta permite ver a lua brilhando alto, cheia, quase avermelhada. Observo com mais cuidado e posso perceber seu reflexo na água escura do lago. Meus lábios se movem, não para emitir um som, e sim sorrir.


Olho a frente e o espelho mostra a melhor parte de mim: você. Deitado na cama, de camisa vermelha e short cinza, você está esparramado,  concentrado na leitura. Suas pernas balançam, as mãos apóiam a cabeça e logo ali ao lado o computador carrega algum arquivo: fotos ou vídeos que você divide com amigos.


Novamente meu lábios se movimentam. Novamente o silêncio.


O coração está disparado, pois no espelho vê o lugar que há pouco entreguei tudo que tinha represado a você. Fizemos um amor rápido, ansioso, quase desesperado. E depois você falou do tempo que não temos e do fim que é certo. Brinquei: perguntei se podia comprar algum tempo para nós.


Não tempo não se compra, aproveita-se. Tempo é para viver e não contar. E não conto meus minutos com você. Cada um deles é repleto de tanta energia que uma vida inteira cabe num segundo. Viver a seu lado é superar a concepção de tempo, de muitas maneiras.


Meu sorriso chama sua atenção. Sua cabeça se movimenta perguntando: "o que foi?" Não sei como dizer ou explicar o que foi. Apenas olho em sue olhos, permitindo que os meus digam exatamente o que sinto. Sem intermediárias palavras, sem sons desnecessários. Sua compreensão é imediata, sempre foi assim, nos comunicamos melhor no silencio.


Através do espelho vejo que fecha o livro. Levanta e vem até mim. Pega minha mão ajudando a levantar da cadeira. Me abraça, quase que envolvendo todo meu corpo com o seu. Seus lábios procuram os meus, não com gentileza, mas desejo, urgência e força. Cedo, nunca resisti a eles, não seria agora.


Me conduz a cama que a lua banha. Me deita e acaricia. Pronto, sai deste mundo. O tempo parou. Agora sou eu, você, a lua e o lago. Vamos, de novo, fazer amor.

4 comments:

  1. ESPELHO
    Sidney Santos

    O sol, verão.
    Terra, a lavra.
    Peito, o coração.
    Homem, palavra!

    Sorriso, a criança.
    Casa, o abrigo.
    Saudades, a lembrança.
    Censura, o castigo!

    Alegria, a ciranda.
    Música, a sinfonia.
    Enfeite, a guirlanda.
    O circo, alegria!

    Verso, o poeta.
    Luz, a do dia.
    Rumo, a seta.
    O amor, Mestria!


    Poeta dos Sonhos

    ReplyDelete
  2. Olá querida Heleny.
    Um texto poderoso com palavras magníficas e envolvente, adorei. Abraços.

    ReplyDelete
  3. Queria poder viver momentos iguais a esses com (?),mesmo que fosse uma única vez...
    Lindo texto minha amiga,lindo... :")

    Magali

    ReplyDelete
  4. Lindo texto, contexto e intertexto!!! (rs)
    Você sempre consegue me emocionar... tanto, que faz a lua e o lago parecerem apenas detalhes.

    Rafaella Nolasco

    ReplyDelete