Thursday, April 14, 2011

Perder a razão



O que é isso que me invade no meio da noite e não me deixa dormir? Como posso ser possuído assim por esse sentimento que pouco a pouco rouba o sono, mas proporciona sonhos sem fim?


O que dizer deste sentir sofrido, doido e no entanto tão importante para mim? Dizer que não o quero, não o desejo não resolve, pois não tenho controle sobre mim. Ele me consome, fere e, no entanto, o quero mais e mais, pois quando o tenho é como se você estivesse aqui.


Todo dia acordo esperando sentir você logo ali. Me abraçando com carinho, sorrindo e beijando daquele jeito de menina, de mulher que quer sem fim.


Fico deitado na cama, sonhando com você. Lembro então do seu corpo, do toque macio de sua pele e penso: como posso amar tanto assim? Se sempre desviei do amor,  deixei tudo de lado,  me escondi, até de você. Se a cada caminho desviei e agora estou parado, em contato com um sentir que nunca tinha sido para mim.


A distância  e a incerteza do que sente por mim, fazem com que saia perdido, procurando refugio em qualquer coisa, em qualquer sentir. Mas quando penso que encontrei um remédio, espécie de anestesia para toda essa dor, descubro que só serve como canal, para que lhe diga sem pensar o que representa para mim.


E eu falo da saudade, de pensar e querer você. Falo de como a dor me invade e como sonho só com você. Falo e falo, você ouve calada e penso: ela se importa? O que pensa de mim? E fico confuso, quase constrangido com esse sentir.


Então ouço sua voz falando, com aquele jeito que só você tem: "fique calmo, eu te amo e a mais ninguém. Só você está em mim, só você agora, amanhã e até o fim." Lembro então, quando uma noite, depois do amor, você me disse:  "depois de você mais ninguém." E pensei naquele dia, quem disse que haverá depois, pois quero você para sempre, o depois não vai existir.


Nossa conversa continua, você falando o quanto sofre longe de mim. Pedindo para que tenha cuidado comigo, que pense em você e não esqueça que seu amor é infinito e meu.


Não consigo relaxar, mas tenho que pensar que o que diz é o seu real, é o seu sentir. Preciso crer que será minha novamente e em breve, vou mergulhar em você e perder os sentidos, encontrar a razão e viver meu amor sem limites, sem medos, pois sei que está ali só para mim.

4 comments:

  1. Blargh... prefiro nem pensar nestas coisas, consegui me abster disso depois de anos a fio de lamurias....

    ReplyDelete
  2. Uauuu quanto amor!!

    Isso é uma declaração... hehe

    Beijos querida Heleny! ;-)

    ReplyDelete
  3. Uau....
    Saudade de um amor é meio que como ter um pé no inferno e outro no paraíso.
    Perfeito o texto!!! Carregado de emoção...

    ReplyDelete
  4. ola Heleny :)

    amei seu texto :), é minha cara :)o amor é isso, é fogo, é impaciencia, é carencia e duvida, o amor nao tem razão, tem pressa :)!

    beijão e linda sexta :)

    passe aqui :) http://sandracajado.com.br/category/colunas/cesar-goncalves-gritos-da-alma/

    ReplyDelete