Thursday, February 17, 2011

Eu e as Montanhas


Amo montanhas. Sou daquelas que se perde ao encontrar uma no caminho, criança boba a extasiar-se com o balão colorido que fica suspenso no ar, por que força não sabe. Fico assim diante de montanhas, imaginando que gigantes estão sentados ali, debaixo de mantos a se aquecer, apenas esperando. Esperando o quê?

Esperando que a energia vital que nos diferencia de outros renasça, reencontre-se e reconstrua, construa. Eles percorreram o mundo a procura de quem pudesse reintegrá-la, cansados deitaram-se sem esperança, espalhando-se pela Terra. Dando-nos a sensação de eternidade que eles mesmos experimentam ali, escondidos e descrentes, perscrutando e acreditando que mesmo o impossível pode acontecer.

E então aconteceu. No meio do oceano azul, debaixo da lua e da estrela, o rio encontrou-se com o mar e a energia começou a brilhar de novo. Você e eu, eu e você, detentores de parte, que juntos permitimos ao todo expandir-se.

Você com sua crença, seus valores e preconceitos. Eu com os meus, perdida em devaneios, numa tentativa quase louca de centrar um ser que se perdera há muito tempo. Você que sempre encara as coisas com brincadeira, um deixa para lá, mas que nos olhos traz a dor de cada perda. Olhos que muitas vezes me deixam aturdida pela força que contém.

E eu? Eu encontrada nessa força maior. Descoberta e aceita por mim. Eu criança imatura, agora mulher segura e confiante nas possibilidades e caminhos a seguir. Eu aqui e você aí. Eu mar e você rio Eu Lua e você Estrela. Dois a confidenciar um ao outro nossas fraquezas, medos, inseguranças. Dois a se completar em força e determinação. Não um, mas dois.

E as montanhas a nossa volta, os gigantes acordaram, estão comemorando nosso encontro. Refletindo no mar, no rio e no céu o amor que temos um pelo outro. Mesmo quando a dor do amor é grande, pois amor dói, por isso é bom, mesmo assim eles comemoram. Sabem que finalmente o TODO, a energia que eles queriam recriar está inteira e agora o mundo se transformará.

Não só por meu amor por você ser infinito, nem por ser único. Amar você foi o primeiro ato de ser eu mesma. Amar você representou coragem e liberdade de assumir o que minha alma explodia, a mente almejava e o corpo pedia. E sim porque você também me ama. Essa entrega recíproca, esse ver um do outro contagia, contamina, comunica que é possível.

A humanidade não acredita mais no amor eterno. O nosso se perdeu no tempo de tanto que dura. Do Olimpo até as montanhas da Anatolia. Dos tempos sem tempo, até hoje. O nosso amor foi e será o combustível do que é positivo, construtivo e definitivo. Você, meu rio, aquele que deságua em mim a matéria vital, nós que juntos criamos vida mesmo na impossibilidade dela. Você meu único e real amor, eu sua também.

Juntos caminhando para o futuro no qual o bem será mais comum que o mal. Onde a Lua e a Estrela brilhará orgulhosa e o rio ficará para sempre no mar.

2 comments:

  1. Que esse amor dure enquanto um durar para o outro e que as diferenças sejam apenas elementos para fazer crescer cada vez mais essa relação.

    ReplyDelete
  2. Que lindo amor. O gigantismo da natureza- mar e montanha - também me fascinam. Lindas fotos, lembram-me outros ocasos, igualmente maravilhosos.
    Parabéns.

    ReplyDelete