Thursday, December 9, 2010

Nada


Jogue mediocridade,
Espalhe-a sobre os homens.
Divida cada vomito
Sujo e de inebriante odor.
Busque a sordidez.
A alma corrompida,
Repleta de feridas.
Ande torto numa via certa.
Procure descobrir a ordem,
Inversa e complexa.
Destrua a verdade
Complete com um não sei,
Talvez sangue sujo e
Encardido ou apenas nada.
Nada de função escusa
Nada de delirio sombrio
Nada.

2 comments:

  1. Querida Heleny,

    Seus versos são fortes, imponentes e de grande impacto... sinto que na poesia você abre sua alma com ainda maior voracidade que na prosa! Mas, certamente, seu desempenho em ambas é admirável!

    Belas palavras... o nada, às vezes, pode significar tudo!

    Beijos, com carinho! Adoro passar por aqui...

    ReplyDelete
  2. DISCURSO DE UMA VERDADEIRA REVOLUCIONÁRIA,CARREGADO DE IDEOLOGISMO> GOSTO DESSAS PARÁBOLAS!

    ReplyDelete