Friday, December 10, 2010

Fora

Fora, escrutinando o vazio.
Fora, suspenso em desafio.
Fora, imundo mundo.
Fora, sem fundo.
Humano fora.
Um mano que chora.
Fuga, busca.
Perigo inerente a alma.
Dentro, escurdão preenche.
Dentro, o desafio vence.
Dentro, o inverso se aprende.
Dentro, tudo que sente.
Incauto ser, impassivel.
Ficando em branco.
Pintando em negro.
Buscando e encontrando
O rio do desprezo.
De quando em quando,
De amanha até ontem,
Perdido na fonte
De onde nao sabe beber.
Fugindo da luz do amanhecer.

4 comments:

  1. Boa tarde, permita-me...

    Dizer que a tarde fica mais linda com a beleza da poesia dando banho nas meninas dos nossos olhos.
    Ainda bem que sou um aprendiz e me espojar na sombra de uma boa poeta e sonhar como um preguiçoso feliz, belo trabalho, parabéns!
    Paz ao teu coração e sejas feliz!

    ReplyDelete
  2. Olha! esta semana,vc tá demais,o bichinho da inspiração lhe mordeu!rsrsrsr! Texto sempre carregado de exegerse imprícita.Parabéns, mas o recado é para quem? rsrsrrsr

    ReplyDelete
  3. GOSTEI MUITO! MUITO PSICODÉLICO! A GENTE VIAJA EM TEXTOS ASSIM...





    GUIDO DANIEL

    ReplyDelete
  4. O seu trabalho com a Antítese, sonoridade, musicalidade, faz de suas escritas cada vez mais valiosa, mais preciosa.
    Parabéns!!

    Marcelo Moreira Marques.

    ReplyDelete