Thursday, November 25, 2010

Mentiras

Pergunto: "a quem você mente?" Estranha pergunta a se fazer para um desconhecido. Afinal, mesmo que as palavras ecoem entre nós você não me conhece, nem eu a você.

Mesmo assim mente. Fala de sonhos que nunca teve. Desejos inventados, fantasias tolas que não necessitavam da criação e tão somente da verdade para serem maravilhosas.

Não entendo você. Queria muito. Inteligente, culto, certo refinamento no falar. Mas, as mentiras o deformam. Para quê? Fingir estar repleto de sentimento, quando o que conta e apenas a aventura do persuadir. Dizer de coisas, brincar de faz de conta e mentir, mentir.

Você mente a quem lhe quer e a quem rejeita. Mente por hábito ou necessidade. Mente para criar o personagem, quando na verdade não deveria ser assim, pois o real é cativante, suficientemente interessante para fazer querer estar e ficar.

No entanto você fala de viagens, de pequenas ruas e lugares. Salzburg, Buenos Aires, e outros que sua imaginação o deixa levar. Fala de solidão e tristeza, de atos galantes e pequenos. Fala de você e de mim. Por que faz assim? A amizade não lhe basta, precisa provar que pode ter, possuir e usar? Não entendo, sinceramente não compreendo, como depois de crescer ficou assim.

Reconheço, talvez ingenuamente, debaixo dessa capa de personagem, do manto de sedutor, certa carência e incoerência. Percebo que o passado deixou marca, talvez escuras e escusas, pequenas brechas na armadura que não consegue conter a dor.

Sou simples no avaliar, na verdade, seria melhor dizer no entender, pois prefiro pensar que bem lá no fundo de você, está aquele que eu vi. Não no olhar, mas nas palavras, não nas mentiras e sim nas poucas verdades que escaparam sem perceber.

Meu sentimento é real. Eu sou real, e estou pensando quem é você? Por que faz assim? Mentir e mentir, principalmente para você.

10 comments:

  1. Minha querida Heleny,
    Uma grande e profunda VERDADE sobre a MENTIRA! Lindo texto mais uma vez!
    Abs

    ReplyDelete
  2. Bom dia, permita-me...

    Dizer que pena! Que não possas ver a minha alma onde as cicatrizes são profundas e, que para fugir da morte tantas mentiras foram necessarias, não atire pedras num mentiroso obrigado pelas forças ocultas da vida, quando se convive demasiadamente com a maldade, a verdade passa a ser um risco fatal e, para viver a mentira passa a ser a melhor verdade.
    Lind o teu texto, parabéns!
    Paz ao teu coração e sejas feliz!

    ReplyDelete
  3. Não falo das mentiras necessárias, falo daquelas qeue não precisam existir.

    ReplyDelete
  4. Fiquei em dúvida se deveria comentar este texto ou não, mas como quem não deve não teme...

    Conheço quem age desta forma e conheço quem tenha sofrido por conta disso.

    Ficam as perguntas: qual a vantagem deste proceder? Consegue-se ser "feliz" a troco do sofrimento de outrem, alguém que só lhe quer o bem?

    Pra mim isso não é nem felicidade, é um prazer chamado "sadismo".

    Que seu coração esteja blindado contra esse tipo de coisa, amiga querida.

    Grande beijo!

    ReplyDelete
  5. Concordo contigo. Quem mente, na verdade, o faz não para a outra pessoa, mas para si mesmo.

    ReplyDelete
  6. Olá Heleny,
    Ao ler o texto veio-me uma certa angústia! Odeio mentiras, ainda assim confeço, enquanto humano que sou, às vezes deixo escapar uma ou outra pequenina "falsa verdade" ou ainda "omito" coisa para não magoar entes queridos.. Sou humano, excessivamente humano! Mas de qualquer forma, a falseabilidade nunca foi boa! Tenho comigo que a maioria o faz por medo do atrito com a realidade e/ou consequencia do verdadeiro motivo, ato ou omissão!
    Obrigado por me trazer luz e fazer-me relembrar que preciso ser verdadeiro e fiel também e principalmente, nas pequenas coisas!
    Tenha uma ótima tarde!
    Abração,
    Flávio Nunes.

    ReplyDelete
  7. Querida Heleny,

    Estou aqui encantada com sua reflexão sobre a mentira. Perfeita mesmo, principalmente para o momento que estou vivendo!

    Caiu como uma luva... e concordo demais com tudo o que disse!

    Beijos, querida! Parabéns pela sensibilidade de sempre...

    ReplyDelete
  8. Existem pessoas que se sentem inferiores, e vivem de mentiras, para parecerem ser o que não são. Lindo texto! Bjos Heleny .

    ReplyDelete
  9. Belo ensaio, como a mentira pode no fim ser poética nesta tuas palavras.

    Parabéns.

    Paz e bem

    ReplyDelete
  10. Para algumas pessoas a mentira é a muralha onde se escondem, onde sofrem, onde sonham com a liberdade, onde unicamente podem ser aquela pessoa que só em sonhos e fantasia desesperadamente desejam ser, e fazem da vida um teatro, que acaba triste, vazio, perdido e solitario...

    ReplyDelete