Friday, October 22, 2010

O mar e você




Não possuo muitas coisas nessa vida, porque possuir é como prender, engaiolar. Prefiro deixar que tudo venha e vá conforme o fluxo. Da mesma forma que a maré traz animais e plantas à praia e depois os leva.

Sou como o mar?

Talvez, porque prefiro que naveguem em mim e não fiquem presos a mim. Assim, o que possuo é o que deve permanecer. O sal do mar é minha alma que dá sabor e permite que outros se desenvolvam em mim. Suas rochas, seus corais são meu corpo que precisa ocupar espaço mesmo que não queira assim. E as ondas, emoções que sinto, indo e vindo em continuo infinito.

Foi assim com você. Entrou em minha vida, como uma gaivota. Sobrevou rapidamente. Experimentou minhas águas e depois partiu. Não sofri, apesar da saudade, não chorei mesmo na distancia. Apenas guardei as lembranças daquele sobrevôo. Tranquei em mim o perfume e o gosto de você.

Nos reencontramos logo depois. Novamente deixei você se achegar, desta vez mergulhou em mim tentando arrancar um sustento, algo  que preenchesse a fome que sentia. Permiti a invasão, aceitei-a como o mar aceita o rio que corre até ele, com paixão e espírito livre.

E então você abriu. Abriu a mente e o coração e pude ver algo belo, incompreensivelmente diferente do que se mostrava lá fora. Observei a mente arguta, questionadora. Vi a alma cheia de certezas e dúvidas. Vi o corpo forte e frágil, belo corpo humano cheio de energia e movimento. Vi você por inteiro. Mesmo sabendo que você não queria assim.

Apoderei-me desse saber e foi apenas ele que mantive comigo. Sabia que de nada adiantava questionar se, além deste mar, você pousaria em outros lugares. Para quê? Não quero lhe prender. Você é livre, voa para onde quer, um mar não pode ser tão egoísta a ponto que querer possuir.

E agora, quando sua saudade aperta. Sempre que tem vontade de mergulhar. É deste mar que se aproxima. Não sei por onde andou, não sei a quem se entregou. Apenas fico feliz quando volta para mim e decide viver aqui.

Com você ando pelo mundo, banho as praias, descubro novos espaços. Com você me sinto mais forte, mais impetuoso. Sou um mar violento e sedento em você. Vislumbro outras possibilidades. Procuro aprender e ensinar. Sei que sempre será assim. Este mar não vai possuir. Apenas sonhar e viver o que lhe é permitido. Apenas ser um mar que o acolhe. Um mar onde se proteger.

É em meu corpo, mente e alma, na profundidade de minha humanidade, que você se aproxima e percebe que ali pode se refugiar. Sabe que as portas não se fecham, que  a maré não o consome. Que sou um mar para se ir e voltar.

7 comments:

  1. Parece o tipo de coisa escrita no meio da madrugada, entre umas taças e outras de vinho.

    De meu lado, eu to mais para um tipo de baleia que fugiu do bando prá ver o que é tem do outro lado daquela praia.

    ReplyDelete
  2. Você é maravilhosa! Falou aí do meu amigo mar ...

    ReplyDelete
  3. Boa noite, permita-me...
    Assentar em uma pedra e poder admirar a sua histórica serenidade, eu que cá chego carregado de tristezas, recebo reflexos nos olhos da lua que tu gostas tanto quanto eu, como distração do psicológico para suavisar a angústia e trazer a paz.Obrigado por considerar-me como peça valiosa do teu existir.
    Paz ao teu coração e seja feliz!

    ReplyDelete
  4. Nossa, quanto desprendimento. Quando eu crescer, quero ser assim, rs. Se vc for como o mar, é bastante evoluída, parabéns!
    Não deixe de conhecer Poseidon e Pontos no meu blog sobre mitologia grega. Ambos são deuses do mar...
    Um beijão e parabéns pelo texto, muito bom.
    Sarah Micucci (escritora como vc).
    http://imperiodosdeuses.blogspot.com/

    ReplyDelete
  5. Uma grata supresa passar por aqui.

    Lindo dizeres... Palavras tão bem arrumadas me fazem devanear.

    Muito bom!

    Bjokas (@delikda)

    ReplyDelete
  6. "É em meu corpo, mente e alma, na profundidade de minha humanidade, que você se aproxima e percebe que ali pode se refugiar. Sabe que as portas não se fecham, que a maré não o consome. Que sou um mar para se ir e voltar."

    O que seria da VIDA sem as idas e vindas, sem os encontros e desencontros inesperados, surpreendentes, da mágia do movimento e das misturas que apesar da distância põe as pessoas diante uma das outras, olho no olho, pele na pele, alma na lama. Você chegou como o Mar, vai e vem, e estou sempre aqui a admirar e aguatdar por vc, por nosso indiscrítivel e unico amor!

    ReplyDelete
  7. Sensacional querida... Parabéns!
    Suas fotos são muito lindas e o texto então... não há como descrever o prazer sentido ao deslizar os olhos por essa bela mensagem.
    q:o)))
    @GelsonR

    ReplyDelete