Wednesday, October 27, 2010

Menino e professor

Aprender é como poder conter nas mãos a Terra


Ele às vezes parece um menino. Não aqueles agitados, frenéticos que vemos nos pátios das escolas.  Nem os melancólicos, apáticos. É  menino contemplativo, que olha o mundo e analisa. Um menino curioso, mas que esconde a curiosidades atrás do silêncio, do sorriso.

Toda vez que o encontro é como se a porta de um mundo mágico se abrisse. Palavras, poemas, textos pulam e passeiam a minha frente. Ele e eu provamos de cada um. Ele com seu jeito perfeito de menino, eu com o meu estabanado de mulher.

E os sons, importância das palavras que compartilhamos, vão criando o vínculo. Amizade entre seres diferentes por fora, semelhantes por dentro.

Ele não é tão menino assim. Longe de casa, no meio de uma cultura nova, tem mostrado coragem em enfrentar  desafios, tentar compreender as diferenças e tirar dali o melhor proveito.

Eu não sou tão fechada a ponto de achar que não posso aprender com ele. Ambos temos percorrido lado a lado o caminho das descobertas e é seu saber, cultura e inteligência que cativam dia a dia.

Com ele passeio por pequenas cidades, montanhas, rios. Entro em livros desconhecidos, de autores pouco falados por aqui. Através de sua paciente apresentação começo a comprender sua língua, hábitos e tradições. Esforçando-me nos sons desconhecidos de letras e palavras.

Os momentos que compartilhamos: ele como professor, eu como aprendiz, me proporcionam o mergulhar novamente na oportunidade do saber. E isso me torna muito mais jovem, ativa e realizada.

Tenho sido feliz demais nesses dias de aprendizado, felicidade só comparada a que tenho quando viajo. E é exatamente isso. Estar com ele é viajar, percorrer o mundo das letras, do conhecimento. É ativar a mente e deixar tudo de lado, começar de novo, sob nova perspectiva.

Ele é tão jovem, parece um menino, mas é um menino que tem dentro todo um Universo.


Ibrahim, um de meus professores de Turco

6 comments:

  1. Eu não sei se já te disse, mas amo demais o que você escreve!!!!

    Você tem um jeito muito sutil e leve de lidar com as palavras...

    Amei o texto!

    Beijos!!

    ReplyDelete
  2. Heleny, amei seu texto! Tão linda a visão que tem de seu professor! Acho que ele é um enigma a ser decifrado, a cada dia novos conhecimentos e aventuras. Parabéns a você e ao grande Ibrahim!
    Beijos!

    @soniasalim #ostra sem fronteiras

    ReplyDelete
  3. A alma é como o Amor, não tem idade, peso ou maestria. O conhecimento necessita de tempo a sabedoria nasce com a alma. E para o Mestre... basta os ouvidos, pois a sabedoria não é um jogo é acúmulo de conhecimento.

    Parabéns pelo texto

    MarquesK

    Só o Rock Alivia

    ReplyDelete
  4. olá!
    parabéns pelo texto,
    me identifiquei nele e
    lembrei de um mestre muito querido por mim.

    abraço
    juh.

    ReplyDelete
  5. Texto perfeito. Gostei de mais. Palavras tão especiais.
    Acho que eu conheço esse menino. *_*

    Parabéns pelo texto.

    ReplyDelete
  6. Ahh,minha amiga,que palavras lindas!Mas do que lindas,verdadeiras...Ibrahin é realmente muito especial,uma jóia que veio com o vento do oriente.
    Melhor de tudo é que eu também conheço esse menino :))))

    ReplyDelete