Sunday, October 10, 2010

Chuva

Os caminhos são curiosos. Não esperava ver você. Saí apressada, correndo mesmo, um pouco desesperada para chegar à algum lugar. A chave do carro, a bolsa e claro, o celular. Havia também certa tristeza, imposta pela saudade, mas nisso não queria pensar.

E lá fui eu, no meio do trânsito, a música alta e o pensamento no objetivo que tinha a alcançar. O sinal fecha e claro que a chuva começa, só para complicar. Nesse dia, a chuva que é amiga, mas por vezes atrapalha, me trouxe um presente.  A oportunidade de lhe encontrar.

Parada no sinal. Olhando ao redor. Vi você passar. Apesar da chuva, não corria, mas sorria como uma criança a brincar. E as lágrimas escorriam, do céu sobre você, como abençoando, molhando e lavando tudo, cada lugar onde toquei.

Vi você assim: camiseta preta e calça jeans. Tudo colado, apertado como eu fico quando estou com você. Fiquei olhando, pensando e imaginando que poderia ser eu, aquela chuva que escorria e tocava. Seria meu suor, minhas lágrimas que deixariam você assim.

E você continuou, sem perceber meu olhar. Olhava para cima, absorvia o clima e parecia sonhar. Seu caminhar continuou até que do meu olhar desapareceu. O sinal abriu e fui pensando: “Como pode ser?  Foi sonho meu.

À noite, quando só as estrelas brilhavam, a lua tinha se escondido e eu estava sozinha em meu quarto, o telefone tocou. Era você, sorrindo e dizendo que estava com saudade e que naquele dia havia nos imaginado debaixo da chuva, dançando e cantando e sentiu que eu estava ali.

E disse que estava, logo ali ao lado da calçada e que o vi sorrir. E juntos brincamos que da próxima vez, eu deixo carro mesmo ali. Desço correndo, pego em sua mão e juntos percorremos a chuva. Dividimos a diversão e a emoção. E depois, quando chegarmos em algum lugar, você me toca e eu toco você. E agora só o calor, o desejo e a vontade de ser e não ser, de estar e não estar, tem vez.

E a gente  deita e forja uma chuva bem ali. Feita somente para molhar você e a mim. E assim molhados, saciados você me olha, e nos olhos que antes eram fogo, desejo e instinto, vejo o que restou para mim: amor, simples e honesto, repleto de dividir e sentir. Assim, acabo por descobrir que você foi feito para mim.

2 comments:

  1. Amo a chuva. E o que você escreve.

    ReplyDelete
  2. Você sempre nos faz viajar pelo maior sentimento do mundo! O AMOR!

    ReplyDelete