Saturday, September 25, 2010

Eros


Eros e Psique

Noite, momento de descansar. Sozinha. O quarto escuro só a luz da lua invade meu espaço. Mas não estou ali, estou em outro lugar. Em um  mundo sem paredes, lugar plural. Onde digo o que sinto, divido opiniões, sentimentos e solidão.

Você me lê. Me convida a descansar. Parece saber que estou impregnada de um cansaço da alma. Da saudade que demora a passar. E eu aceito seu convite e começo a passear em suas palavras, seu dizer.

Ficamos conversando. Falando de tudo. Do celular que não funcionava. Das estradas que percorrera para chegar. Falamos de música, poderosa e enigmática, ritmos que o haviam envolvido em sua luz azul. Dos disfarces escolhidos para não pensar, não querer.

Mas Eros é persistente, reconheço. Fecho os olhos da imaginação, ou abro, depende da opção.Você me observa com curiosidade. Um misto de vontade e necessidade. Tão perto e tão longe. Quer se aconchegar, mas tem medo de tocar.

E eu falo que quero. Desejo me aventurar. Provar sua sabedoria, encher minha alma de algo que não consigo nomear. Você imagina meus olhos e me invade com palavras. Penso em seu sorriso, o toque na nuca. Sinto quando me puxa para perto, de um jeito discreto, como não querendo querer.

E naquele espaço sozinha, é o que diz, como diz que me faz pereber os corpos juntos, calor mudando de lugar. É sua boca que toca a minha, seu sabor que inavade. E ficamos ali, misturados, em silêncio. Sentindo o bater do coração, a música da respiração. Sem passado ou futuro, apenas presente, momento. E você com jeito sem jeito me leva para o quarto da imaginação, fecha a porta e me convida a sonhar.

E neste sonho me perco. Me deito em seu ombro para que possa explorar. Tocar seu rosto como a brisa à beira mar. Minhas mãos ansiosas passam a procurar. Seus braços e tudo que pode tocar. Quero conhecer cada parte, gravar na memória cada suspirar. Saber que em você eu posso brincar.

De repente me escondo. Quero provocar. Fazer você desvendar os mistérios antes de me entregar.

E você me encontra e toca. Primeiro de leve, sem pressionar. Depois com sofreguidão, com precisão que me faz flutuar. E lá vou em busca de mais. Pedindo coisas que você não pode negar. De tudo prova. Em tudo toca e quando a umidade é doce, completa, você mergulha. E assim deixo de ser e recebo você em mim. Naquele momento nada importa apenas o sentir.

A dança não tem fim. É você e sou eu. Dentro e fora com precisão. Fora e dentro com sofreguidão. Bocas. Mãos e corpos em fusão. Nada importa só o cantar de Eros em nossa mente. O invadir do amor em nossa alma. O desejo em nosso corpo.

E quando, sem perceber. Seguimos mais adiante. Quando espaço e tempo deixaram de existir. Você deságua em mim. Como o rio que tanto ama, flui voraz por minhas entranhas, deixando seu cheiro em mim.

Então abro os olhos. Percebo o coração agitado. A respiração sem controle. Sinto a umidade. Fico sem saber, como, como pode ser assim. Você está longe, não ali. Mas parece que deixou algo em mim.

E nossas palavras, assim como nossos corpos, recobram o controle. Voltam a falar e pensar. Mas mesmo assim desejam, secretamente, que o virtual se torne real.


5 comments:

  1. Já disse e reafirmo, que lê seus textos e artigos são uma delícia para a alma de qualquer pessoa. E quando eu o faço,me sinto leve, sereno, calmo, porques tens o "dom" de transportar o leitor para o contexto de tua narrativa. E como é dignificante ser guiado por mãos e palavras tão sábias. Retratas em teus escritos a beleza impar do amor, do desejo.
    Que homem, não gostaria de receber os carinhos que teus relatos tão bem expressam, e felizardo é aquele que os recebe.
    Que o Deus EROS continue te inspirando, para que do teu teclado mágico, saiam os textos tão belos e sinceros, marcantes e exclarecedores,para que mrmanjos assim como eu, possam se deliciar sempre.
    Reconhecer em suas obras talento e sabedoria digna dos grandes mestres, não é díficil, nem necessário. Todos sem exceção, que tiveram a felicidade de apreciar teus escritos, sabem diferenciar uma obra prima deum rascunho qualquer.
    Eu disse apreciar. Porque assim como um bom vinho,uma ótima champagne, um bom escocês,um bom restaurante, um bom filme ou um bom livro, seus textos não são para serem lidos. Eles foram escritos para serem apreciados!!!

    Perdõe a ousadia do comentário, donde já se viu, um simples mortal querer comentar uma obra de uma "Deusa".

    Bjussssss!!!!!!!!

    ReplyDelete
  2. Boa noite, permita-me...
    Quando tomo sopa de algua forma transpiro, reação química do psicológico! É como me sinto ao término deste pratinho.
    Isso é deicioso de ser lido, de preferência sem pressa, para fingir que cada movimento é real e sonhar absorvido dessa gostosa fantasia.
    Belo texto, parabéns...
    Paz ao teu coração e seja feliz! bom fim de semana.

    ReplyDelete
  3. A sinfonia da respiração no compaço da batida do coração. Nossos desejos vão longe e sentimos sem dúvida o toque da eterna paixão.

    Parabéns pelo texto

    MarquesK

    Só o Rock Alivia

    ReplyDelete
  4. Lindo seu blog. Foi um satisfação conhecê-lo. Já o estou seguindo.

    Abraços,

    Vida em Sociedade

    ReplyDelete
  5. Estou impressionada, muito perfeito o seu blog!
    Parabéns.

    ReplyDelete