Monday, June 14, 2010

Dia dos namorados.


Não sou de acreditar em fatalismos. Muito menos em desígnios divinos. Acredito em acasos, possibilidades e consequências. Desta forma não poderia ser diferente com relação ao amor.

Estou relativamente adiantada para falar do dia dos namorados, mas li algo que fez com que pensasse em como as pessoas perdem oportunidades por acreditar em suas impossibilidades.

Pessoas acreditam que o amor simplesmente surge em suas vidas. Assim, mágica. Algumas passam a vida pedindo, orando e acima de tudo fazendo por ele. Sim fazendo. Experiências, preces e encantamentos. Superstições tolas que os fazem perder tempo e oportunidades. Esquecem que o mais importante é estar aberto às possibilidades. Olhar e ser perceptivo ao que está acontecendo a sua volta. Algumas vezes o amor flutua a seu redor e você nem percebe.

O acaso, simples e puro, como um número de telefone errado que foi discado. Um encontrão no supermercado, um contato adicionado no IM. Qualquer porta pode ser usada e você precisa estar receptivo, atento e disposto a investir.

O amor custa caro. Não é dinheiro. Custa tempo, afeição, atenção, carinho e muita paciência. Amar requer compreensão do outro e fazer-se compreender pelo outro. Não existe mágica, a não ser um duro, continuo e longo trabalho. Cultivar, usa-se muito esse verbo para falar-se de amor. Sim, cultivar, trabalhar e acima de tudo ter coragem de lutar e lutar e não desistir.

O amor é um sentimento soitário que algumas vezes encontra um parceiro. Essa verdade transparece nas relações. Elas acontecem, aparentemente florescem e morrem, de repente ou lentamente. A agonia do amor é dolorosa, rancorosa e magoa. A morte subita desnorteia. E fica, em ambos os casos, a incompreensão do por quê.

O amor morre de indiferença, incompreensão e desamor. Morre de falta de aventuras e afinidades. Morre das certezas e incertezas não compartilhadas. O pouco investimento leva o amor ao fim.

Não que existam garantias, mesmo com investimento árduo a relação é de mão dupla e pode se perder na falta de dialogo e compreensão. Ah!,  falta de palavras... Palavras importam no amor, saber só não é suficiente, expressar é importante.


Amor não é caixas de chocolates caros, roupas sofisticadas, jantares suntuosos. Amor é a preocupação com o outro sem invadir seu espaço. A rosa colocada num vaso no criado-mudo ou ainda um beijo arrebatador e inesperado.


Amor é para todos. Nem todos o tem. Amor floresce em formas diversas:  a distância, em diferentes idiomas. Na juventudo brilhante e ardorosa, na maturidade aventureira e sábia, na velhice sólida e esperançosa. Amor é amor. Todos tem direito, poucos o escolhem.

3 comments:

  1. Estou sem palavras, então é melhor só aplaudir!!!

    ReplyDelete
  2. Muito lindo Heleny.
    Gostei muito.

    ReplyDelete
  3. Olha! EU GOSTEI TANTO QUE TOMEI A LIBERDADE DE POSTAR ESTAS PALAVRAS TAMBÉM EM MEU ORKUT.
    E MANDEI TAMBÉM PARA MINHA FILHA.

    ReplyDelete