Wednesday, May 26, 2010

Música e eu



Música. Minha alma está repleta dela. Não sou especialista, aliás, nem mesmo bom ouvido tenho. Não sou daquelas que ao primeiro acorde sabe o que vai tocar. Apenas AMO música. E como a tudo que amo não temo experimentar.
Passe por um período experimentando música indiana. Adorei o pop. Não me dei muito bem com o folclórico, tradicional. Passei meses me divertindo com as trilhas sonoras de Bollywood. Deixei todos a minha volta loucos. Meu filho começou a falar palavras em hindi. 
Antes da Índia, muito antes. Passei por tudo que existe de popular e clássico. Comecei apaixonada por Elton John, Carpenters, Bee Gees. Conheci Beethoven, Haydn, Bach, Mozart e fiquei extasiada com Vivaldi, Carl Orf, Tchaikovsky, Prokofiev e muitos outros. Música brasileira nunca me atraiu. Sempre achei que faltava algo. Gostava de forma parcimoniosa de Elis, Milton, Lou Borges, 14 Bis. Mas era sempre um pouco, nunca muito. Pouca paixão.
Com o tempo e as críticas à meu gosto musical fui deixando a música de lado. Ouvia escondida, com medo de ofender. Foi um período muito triste de minha vida. O curioso é que de repente até o aparelho de som quebrou, foi jogado fora e nunca comprei outro. O silencio passou a ser a nova trilha.
Esse silêncio doía demais. Afinal era um ser humano com trilha sonora! Cada música que conhecera até então marcara um fato em minha vida. As dificuldades da adolescência e o primeiro amor ficaram marcados por Carpenters. Depois veio um momento em que ouvia qualquer coisa que tocava no rádio. Cresci e já adulta conheci a música clássica e fiz uma nova descoberta. Música para mim tem que ter letra. E letra com sentido.
Verdade. Música e letra são o que me conquistam. A poesia das palavras embaladas pelo som dos instrumentos me enlouquece. Mas música clássica raramente tem letra? Pois é, mas a música pode ser uma forma de poesia não pode. Música clássica tem uma letra especial, matemática que me toca também.
Após meu casamento como por medo ou outro sentimento que ainda não defini bem. Simplesmente assumi o gosto musical de meu marido. Isso não me dava prazer. Não era eu. Não era minha vida.
Pouco a pouco me distanciou da música. De repente há cerca de um ano aconteceu. Redescobri o poder catártico da música. Não foi nada sutil. Linkin Park, Nickelback e alguns outros bem barulhentos e irritantes para algumas pessoas. Meu filho adorou.
Agora voltei a experimentar. Sem medo. Passo por Leonardo Cohen, Keb’Mo’, com a mesma paixão que por Chris Brown, Miley Cyrus, Selena ou Jordin Sparks.
Minha nova mania é música turca. Novamente foi o pop que me conquistou. Estou APAIXONADA por Mustafa Sandal, Teoman, Serdar Ortaç e Tarkan. Meu iPOd está louco! Tenho uma “playlist” que passa pela Índia, Turquia, Canadá, Estados Unidos, Inglaterra. Misturo tudo e durmo embalada por ela.
A vida voltou a fazer sentido e a música a ser parte dela.

2 comments:

  1. This comment has been removed by the author.

    ReplyDelete
  2. Cantar e tocar são dois dos meus Hobbies favoritos,é claro que não sou cantora e nem instrumentista profissional mas amo soltar a minha voz o tempo todo,tudo o que faço é ouvindo música,tudo mesmo!
    Queria aprender a tocar um pouco de cada instrumento e sax alto é a minha paixão, um dos meus sonhos de consumo rs.
    Música cantada tem que ter conteúdo,letra boa e coerência e música instrumental tem que tocar o coração e embalar o corpo.

    ReplyDelete