Tuesday, April 20, 2010

Do perdão a superação


Nascemos capazes. Ao chegamos a este tempo, neste lugar somos capazes de tudo. Nossas incapacidades são consequências da ação do ambiente em seres em formação. Sim, nossa formação: pais, família em geral, professores e amigos, pouco a pouco nos moldam, transformam, nos tiram ou acrescentam.

Isso ocorreu comigo, como todo mundo. Cresci estranha, esquisita como muitos diziam. Cresci pensando que não era, não tinha e não seria. Pensando, mas não acreditando, pois lutei. Superei sozinha cada obstáculo: a falta de amor, indiferença, desconfiança. Entretanto as etiquetas ficaram. Colaram em minha alma.

Um dia me descobri impossível de suportar. Infeliz, feia, constrangedoramente apática diante da vida. Finalmente aqueles que não conseguiam me compreender e apreciar haviam vencido. Eu agora não era nada.


Entretando, existe o acaso. Aquilo que ocorre sem que seja previsto ou desejado. De repente, numa tarde escura e fria ele surgiu. Foi a oportunidade de crescer, me ver como alguém que poderia oferecer muito. Podia oferecer esperança. sonhos. Tinha um coração repleto de afetividade, a mente fervilhando de idéias.


Naquela tarde de junho superei. Decidi primeiro aceitar quem era. Foi o passo mais difícil, pois ao olhar no espelho imaginário não via nada que agradasse. Refleti e comecei a compreender que era mais do que via.


Inteligente sim, muito. Capaz de criar, criticar, resolver fosse o problema que fosse, a dificuldade que se apresentasse. Criativa, muito. Minha imaginação era como uma explosão vulcânica, emitindo ideías, sonhos por todos os lados. Bonita, sim eu era. Sempre havia sido, nunca compreendera que a beleza é algo subjetivo, cada um a vê de uma forma. Eu precisava me ver bela e agora me via. Forte, sim muito. Superei perdas muitas vezes insuperáveis por outros. Perdi a coragem, auto-estima, filhos e quase a esperança.

Agora que me aceitava conseguia entender melhor. Primeiro houve a mudança interna. Apaixonei-me por mim, perdoei. Depois veio a externa que ainda se processa. Cuido de mim. Da mente, do coração, da alma. Tenho dado passos em busca de finalmente permitir que o mundo me conheça. Não procuro fama, mas um lugar para agir, contribuir, ser.


Superação e possibilidades passaram a ser minhas palavras favoritas. Superei os traumas de infância e adolescência. Superei desprezo, inveja, incompreensão. Superei a morte, perda inexplicável muitas vezes. Superei o medo de ser quem sou. Deixei de me importar com a opinião dos outros. Sempre existiram os que me amam ou me odeiam. Alíás, alguém me disse: "Heleny, você é uma pessoa que desperta apenas dois sentimentos: ódio ou amor, indiferença jamais". Talvez, mas o importante é que agora sei quem sou, o que quero e para onde sigo.


Sou mulher, inteligente, capaz, corajosa, forte. Escolhi o caminho da escrita e meu caminho me leva para o mundo. Estou aberta a todas possibilidades, emoções e sensações. Finalmente sou LIVRE.

1 comment:

  1. Ainda bem que você descobriu quão importante é, e de verdade te admiro mais ainda depois de ler essas palavras.
    Se eu tivesse te conhecido nessa época difícil da sua vida eu a amaria da mesma maneira porque esse é o sentimento que você conseguiu despertar no meu coração.

    ReplyDelete