Tuesday, April 27, 2010

Fazer amor....


Há algum tempo conversava com um amigo indiano sobre sexo e ele me perguntou: “Até quando você pretende fazer sexo?” Respondi de forma automática. “Até morrer ou enquanto meu corpo quiser.” Ele sorriu e como sempre me instigou a falar. Agora queria saber sobre a relação entre amor e sexo.
Comecei explicando que sexo é assunto rotineiro para mim. Não tenho falsos pudores ao falar dele. Afinal sexo, como comer e dormir faz parte de nossa vida. Entretanto diferencio duas formas de fazer sexoUma é quando bate aquele desejo, algo que queima por dentro e as fantasias se apoderam de sua mente. Sexo sem envolvimento, sem comprometimento a não ser com o prazer seu e do outro.
Meu amigo concordou. Disse que conhecia bem essa forma. Era a que mais praticava e estava muito curioso para que dissesse qual seria a outra.
Expliquei que seria estando apaixonado, amando completamente o ser com o qual você faria sexo.
“Amor?” Questionou ele. “Amor não é o mesmo que sexo?” “Eu sinto que não. Sei que não.” Afirmei com minha costumeira veemência. “Como pode saber?” Mostrou-se intrigado. “Por experiência.”
O sexo pelo desejo é saciado com mais facilidade. O sexo com amor sempre quer mais. Sexo com amor representa um tipo de entrega que vai além do corpo, envolve tudo. Sentimentos, desejos, esperanças, comprometimento, envolvimento, intelecto. Sexo com amor permite que o gozo perdure em você, impregnado como as palavras em nossa alma.
Ele disse que ainda não experimentara algo assim.
“Você ainda não amou.” Disse a ele “E poucos são aqueles que quando amam percebem essa sutil diferença. Só quem teve os dois pode saber.”
Terminamos nossa conversa com uma conclusão. Afinal ele e eu sempre precisávamos dar um fechamento aos nossos debates.
“Amor sempre leva ao sexo, mas sexo nunca leva ao amor.” Foi a conclusão que ele chegou.
Não sei se é verdade. O que sei é que quando faço sexo com quem amo não conto os minutos, as horas. Perco a noção do limite de meu corpo, do lugar onde estou. Foco-me nas sensações, emoções, no prazer que recebo e dou. É isso. Isso para mim é fazer amor. Transformar o sentimento em ação.

6 comments:

  1. Despertado pela curiosidade deste tweet vim conhecer o seu blog e achei deveras interessante esta reflexão, com a qual aliás não poderia deixar de estar mais de acordo. Os meus cumprimentos.

    ReplyDelete
  2. Bem que eu queria fazer um comentário, mas a beleza deste texto me inibe, pobre mortal, de exprimir algumas palavras.
    Só sei dizer, que poucos,muitos poucos mesmos, conseguem expressar com tanta maestria como você, e esta reflexão deveria servir de "aula" a tantos que se imaginam "PHD" em matéria de sexo.

    Xeiros carinhosos.....

    ReplyDelete
  3. Você é linda como suas próprias palavras. Parabéns. Théo

    ReplyDelete
  4. Falaste tudo, querida amiga!

    Pobre daquele que nunca experimentou o "fazer amor" e pobre daquele que se sacia simplesmente com o sexo casual.

    Após fazer amor, fica a sensação de plenitude; após o sexo casual, fica o vazio.

    ReplyDelete
  5. um dia ouvi uma pessoa dizer: "Sexo, é transferência de almas" será?
    Um dia vou descobrir tudo isso rs

    ReplyDelete